Início > Geral, Intimidade..., Lembranças, Relacionamentos, Rotina, São Paulo, Sexta-Feira > Desventuras na Noite Paulista… Parte III

Desventuras na Noite Paulista… Parte III

Eu estava mal, semana passada. Tudo doía, meus músculos todos doloridos, olhos extremamente cansados, a gastrite totalmente irridada, estava dose. O motivo? Uma gripe que me pegou de jeito.

A única coisa que melhorou meu ânimo foi a ligação de D. (pelo título vocês devem lembrar). Deitado na cama falei com ela pele celular, e ela disse estar bem, animada com a nova função no trabalho, estava muito bem onde estava. Falou até da paquera dela.

Epa! Paquera? Como assim???

Tá, tá, eu vou explicar. Eu não contei antes, porque eu estava apertado no trabalho. Alguns posts foram escritos em cinco minutos, enquanto que um como este, leio e releio diversas vezes. Bom… Nós não estamos juntos. Depois daquele beijo em frente ao Gazeta, saímos mais umas duas vezes. Mas não demos certo.

Eu, um work-a-holic compulsivo. Ela, uma livre andorinha. Eu, não tenho hora para mim. Ela, extremamente controlada. Eu me dedico muito ao trabalho, e ela prioriza a vida pessoal. Amo o que faço e só quero alguém que me entenda. Ela simplesmente não concordava. Nunca ia dar certo.

Então, no último dia em que saímos, ambos sabíamos que tinhamos que conversar. E foi no mesmo café onde tudo começou. Nos encontramos, conversamos, rimos, comemos… E em uma certa hora, quase na hora de irmos, ela pegou minha mão, e disse olhando nos meus olhos.

“Gosto de ti e não nego.
Mas não estou pronta para isso.
Quem sabe quando nos aceitarmos…”

E no café onde tudo começou, terminou. Eu para um lado, ela para o outro. Restou a amizade…

Sabe? Passo noites sozinho, vendo filmes e tomando meu whisky não só porque quero, mas também porque gosto. Claro, acompanhado é sempre melhor, ter alguém para conversar, construir e compartilhar uma vida inteira.

Mas nos dias de hoje, há momentos em que conversar com as paredes é melhor do que estar acompanhado.

Claro, ainda procuro alguém com quem eu possa e consiga dividir uma vida. Ou ao menos parte dela. Mas com certeza há de ser alguém entenda, e acima de tudo, aceite.

Anúncios
  1. abril 23, 2008 às 9:27 pm

    To passeando por aqui se você não se importar…
    Sabia que você tinha que ter um espanta-tubarões!!!!!!
    Work-Holic ou Lover????

  2. Delayla Taylor
    março 11, 2008 às 5:44 pm

    Obrigada pelo comentário no blog.
    Vários amigis me ajudaram e disseram que o melhor é esquecer, mais vou tentar.
    Você me parece tão solitário quanto eu a espea de alguém pra si.
    Eu tento não me entristecer ou desanimar mais é difícil.
    Axo que o amor não é pra mim.

    Bjos.

  3. março 11, 2008 às 12:20 pm

    Olha… Eu escuto isso sempre.

    Sei como é.

    Vou adicionar seu blog aos feeds, ok?

    Abraço!

  4. Pedro Jacarte
    março 10, 2008 às 7:02 pm

    por desventura cai no seu blog e concordo. nos dias de hj…às vezes é melhor ficar com a própria companhia. além disso….em alguns casos…acho q o q tiver q ser, será! curti o texto.

  5. março 10, 2008 às 4:06 pm

    Alec, mas quanta sensibilidade! Achei lindissimo… Tô meio por fora da história, mas acho que o sentimento mais nobre do ser humano é a amizade. Essa coisa sem cobrança, esse sentimento que nos deixa feliz apenas pelo fato de conversar e desabafar com alguém, que é simplesmente, amigo… Voltei a blogar….
    beijos

  6. Si
    março 9, 2008 às 2:42 pm

    A vida é cheia de encontros e desencontros… E para deixar de lado momentos tão bons sozinho (fisicamente), só por alguém que realmente vale a pena.
    Eu, por exemplo, estou numa fase querer ficar na minha. Chega de buscar minha felicidade no outro. Não é auto-suficiência, mas eu me amo e acabou!

    Obrigada pela visita. Gostei demais do seu blog.

    Beijos (e uns copos de cappucino).

  7. março 7, 2008 às 8:18 pm

    Ops, 19 é o dia de pegar o ingresso. Dia 25 é o grande dia. Eu, vc, o muso e mais um monte de gente legal. Uhuu

  8. março 7, 2008 às 8:16 pm

    Av. Paulista? Praticamente o quintal da minha casa.
    Chico Buarque? Praticamente o meu objeto de desejo. E por ser desejo, deve ficar sempre no plano saudável do desejo, da fantasia. Assim como alguns amores impossíveis, como este que vc descreveu. A pessoa certa na hora errada. Entendo perfeitamente.

    Gostei dos seus escritos. E, sim, a gente se esbarra no evento do dia 19. 🙂

  9. Ju
    março 7, 2008 às 7:30 pm

    Ahh… achei legal vocês estarem conseguindo manter essa amizade.

    Entendo perfeitamente o que tentou expressar, me identifiquei demais. Também estou vivendo num ritmo frenético, faculdade, cursinho, trabalho, estudos… e sinceramente acho que HOJE não abriria mão de nenhuma dessas coisas por quem quer que fosse.

    Mas não nego, sinto uma falta imensa de compartilhar as coisas com alguém, de ter com quem rir, chorar, sair para qualquer lugar.

    É a vida, vamos aproveitar.

    Beijos

  10. março 7, 2008 às 7:20 pm

    Tava sumido, hein! Bom rever-te lá no meu cantinho. =)

    E essa história aí deu o que contar, hein?
    Se esse é o fim ou não, sabe lá, mas que é uma história
    ótima, sem dúvidas.

    No fundo, adoro os encontros e desencontros da vida.

    Beijos meus.

  11. março 7, 2008 às 6:39 pm

    Quando se está acostumado a sempre ter alguém ao seu lado pra te acompanhar em tudo, conversar, chorar, rir e de repente não tem mais é péssimo.
    Mas também quando se está acostumado a viver sozinho a fazer tudo sozinho, falar com as paredes, se divertir, dormir, comer… e de repente aparece alguém ficamos perdidos…
    Tudo tem seu lado bom e seu lado ruim.
    Sempre temi por ficar sozinha, por isso saia de uma namoro e engatava outro, mas dessa vez resolvi encarar isso de frente e fiquei sozinha. No começo foi péssimo não conseguia ficar em casa, mas com o tempo fui me acostumando e hoje adoro meus momentos só meus, passo horas na frente do espelho cuidando de mim… e até ficou divertido.
    Resumindo… temos fases na nossa vida, talvez agora seja a sua fase de ficar sozinho e cuidar de você mesmo, essa fase nao tem tempo, e pode demorar ou como pode acabar amanhâ, o ideal é saber dar valor, seja quando se está só ou quando se tem alguém!!!
    Beijokas
    ….Ah e não fique pensando muito nisso não (em ter alguém)! desencana ai as coisas acontecem!

  12. março 7, 2008 às 6:03 pm

    O bom é que é tudo simples, prático e sem dores…

    beijos

  13. março 7, 2008 às 4:45 pm

    É bom ficar sozinha… às vezes! Outras, dá vontade de ter alguém do lado. Mas aí, eu lembro de como era ter alguém do meulado e penso: “é melhor estar sozinha”. Só quero estar acompanhada se valer a pena. Se a pessoa que estiver comigo, me aceitar exatamente como eu sou e não só eu aceitar ela como ela é. Tem que ser uma aceitação mútua. É isso aí! Bjs.

  14. março 7, 2008 às 3:05 pm

    Se não foi, é porque não era pra ser, né? Quando menos a gente espera, as coisas acontecem!
    Faça o seu trabalho, viva a sua vida da melhor maneira possível, porque: “Seu coração nunca bate aflito, porque tem certeza, o seu amor virá”…(Ivan Lins)
    Bjão e otimo findi.

  15. março 7, 2008 às 11:47 am

    Que foto linda da Paulista! Talvez eu almoce lá hoje. 🙂

    Também quero alguém pra dividir a vida! =/ Mas é essencial que haja compreensão e respeito pelo estilo de vida do outro. Infelizmente, às vezes a incompatibilidade não tem muita solução.

    beijo!

  16. março 7, 2008 às 2:55 am

    Acredito q as vezes a vida é feita de momentos.
    talvez o seu momento seja de cuidar mesmo da sua carreira.
    Mas logo chega a parte do coraçao!
    beijo gde!

  17. março 6, 2008 às 10:47 pm

    um dia vc encontra alguém que te aceita e que tem ritmo semelhante.

    mas aí será só desencontro… =P
    (brincadeira)

    bjsss

  18. março 6, 2008 às 9:23 pm

    Sei como é ser sozinho para fazer as coisas, Alec. Não que seja de todo ruim, nisso concordo com você. Mas sem aceitação, não tem daria certo.

    Abração!

  19. março 6, 2008 às 7:48 pm

    Pois é, meu querido…é sempre essa confusão de encontros e desencontros nessa vida… por isso te disse outro dia que estava bem sozinha. Não é q não quero alguém, mas tb não serve qualquer pessoa, entende???

    Espero q a sorte nos sorria…rs. Aliás, trabalhando mto heim?

    Obrigada pela força, eu sei que vc sempre me ajuda e gostaria de fazer o mesmo por ti, se vc deixar! Naquele dia saiu sem que eu visse, por isso mandei o mail q espero q vc tenha lido.

    Aparece qdo der, fica bem, a vida é sempre uma caixinha de surpresas….

    Bjossssss, saudade

  20. Hisk
    março 6, 2008 às 5:33 pm

    Pois é… Antes só que mal acompanhado… Mas mesmo assim, “só” continua sendo muito triste…

    HISK

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: